Quando chegam as férias, muitas famílias saem de suas cidades e se destinam a outros locais, para aproveitar esse momento de descanso e lazer. Preocupadas em cuidar bem das finanças, algumas optam por alugar um imóvel por um curto período de tempo, o que normalmente fica mais barato do que arcar com hotéis para todos.

Caso você tenha interesse em fazer locação de imóvel na temporada, fique atento às dicas e aos cuidados.

Pesquise

Uma boa busca na internet dá mais opções a quem alugará o imóvel (locatário) em relação a preços e comodidades. A pesquisa pode ser feita junto a imobiliárias ou livremente, em programas como o Airbnb. Um bom indicador para levar em consideração ao pesquisar é a indicação por alguém que já utilizou o imóvel ou os comentários feitos a respeito dele em redes sociais.

Além da pesquisa do imóvel, é interessante olhar os dados pessoais do locatário junto ao Serasa/SPC, para verificar alguma irregularidade.

Conheça o imóvel e sua localização

Os anúncios de um imóvel nem sempre condizem com a realidade. Diante deste fato, é importante conhecer o imóvel antes de alugá-lo (móveis, utensílios, serviços que poderão ser usados), presencialmente ou por meio de fotos recentes. Nos casos em que não há como ir ao local antes da temporada, recomenda-se guardar todo o tipo de publicidade referente ao imóvel, para resguardar-se em caso de algum problema.

Além do imóvel em si, deve-se considerar a praticidade, o conforto, a segurança e a infraestrutura que seus arredores oferecem.

Conheça as garantias legais

A Lei de Locações (Lei nº 8.245/91) se aplica também à locação de imóvel na temporada, e prevê que o proprietário poderá exigir como garantias: fiador, caução, seguro fiança, cessão fiduciária de quotas de fundo de investimento. A garantia mais comum é o cheque-caução, que serve para garantir bens (mobílias, eletrodomésticos e eletrônicos). Ele será devolvido ao locatário no momento da entrega das chaves, após o locador verificar se o imóvel está em ordem.

Faça uma vistoria no imóvel ao entrar

O locatário deve inspecionar tudo que está designado no contrato para ver se há alguma irregularidade ou dano. Verifique portas, janelas, maçanetas, vidros, eletrodomésticos, eletrônicos, móveis e tudo que puder dar margem a questionamento pelo locador. Qualquer problema deve ser comunicado imediatamente ao proprietário, para que ele repare o que for necessário, não deixando margem à indenização posterior.

Faça um contrato escrito

Hábito pouco comum dos brasileiros, que fazem contratos verbais, é essencial efetuar um contrato escrito na locação de imóvel na temporada. Ele deverá conter tudo aquilo que foi acordado verbalmente, como:

  • Datas de entrada e saída: o prazo máximo da locação de temporada é de 90 dias;
  • Dados pessoais dos contratantes;
  • Preço e forma de pagamento: é comum pagar metade do valor no ato da contratação e a outra metade na entrega das chaves;
  • Multas por descumprimento;
  • Número de pessoas que se hospedarão;
  • Descrição de móveis, utensílios, eletrodomésticos e eletrônicos;
  • Responsável pelo pagamento das contas durante o período de locação.

É comum ter auxílio de um profissional especializado para redigir o contrato. Os contratos padrões, que se pode encontrar facilmente na internet, não retratam a realidade de cada transação e podem gerar insegurança para as duas partes.

 

Por fim, lembre-se sempre de verificar a idoneidade dos envolvidos (imobiliária, corretor de imóveis e locador) e desconfie dos preços abaixo do valor de mercado.

Com essas dicas e cuidados, você poderá efetuar uma locação de imóvel na temporada e curtir suas férias tranquilamente.